Exportadores de grãos russos retomam vendas à Turquia apesar de tensão política

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015 15:43 BRST
 

MOSCOU (Reuters) - Exportadores de grãos da Rússia retomaram negociações com compradores da Turquia depois de uma breve paralisação nas transações causada pela deterioração das relações entre os dois países, disseram operadores e analistas.

A Rússia, um dos maiores exportadores de trigo do mundo, e a Turquia, um dos maiores compradores do trigo russo, têm travado uma disputa desde que a Turquia derrubou um avião russo perto da fronteira com a Síria no final de novembro.

Por semanas após o incidente, operadores russos e turcos suspenderam a assinatura de novos contratos, temendo que Moscou poderia suspender exportações de grãos para a Turquia, ou que Ankara poderia parar as compras, disseram operadores e analistas. Mas essas medidas não foram impostas e os negócios voltaram ao normal, eles disseram.

"Preocupações com uma possível interrupção da oferta para o mercado turco que existiam em novembro e no início de dezembro não se materializaram", disse o diretor administrativo da consultoria agrícola SovEcon, Andrey Sizov.

Ao falar sobre os compradores turcos, um operador do mercado de grãos russo disse que "não há problemas, eles estão comprando de nós". Outro operador russo também afirmou que as vendas para a Turquia foram retomadas, e que não houve restrições informais de Moscou até o momento.

Um consultor que presta serviços para compradores turcos de grãos na Rússia, que falou sob condição de anonimato, também disse que os negociadores turcos estão agora fechando novos negócios com fornecedores russos.

O regulador russo que fiscaliza as exportações de grãos não pôde comentar imediatamente nesta quinta-feira. Mais cedo neste mês, o órgão disse que a oferta para a Turquia continuaria normal.

A Rússia é uma importante fonte de suprimentos de trigo para moinhos turcos, e um rublo mais fraco tornou os grãos russos mais baratos em preços denominados em dólar.

"A Turquia continua comprando trigo russo, uma vez que o francês é mais caro e o ucraniano não atende as exigências de qualidade", disse Arkady Zlochevsky, chefe da União do Trigo, um grupo não-governamental de lobby em prol do trigo formado por produtores.

(Por Polina Devitt)