Líderes empresariais alemães temem que nacionalismo e crise de refugiados destruam UE

sábado, 26 de dezembro de 2015 11:12 BRST
 

BERLIM (Reuters) - Lideranças empresariais da Alemanha temem que os desentendimentos sobre como lidar com a crise de refugiados e o crescente nacionalismo nos países-membros possam levar à dissolução da União Europeia.

A chegada à Europa de centenas de milhares de pessoas que fogem da guerra e da pobreza em países como Síria e Iraque este ano tem abalado ainda mais os laços entre os países europeus, que já se encontravam esgarçados em decorrência da crise financeira da zona do euro.

Além disso, o crescente nacionalismo pode ameaçar a riqueza, o sucesso econômico e a segurança da Europa, disseram os presidentes das mais destacadas associações empresariais da Alemanha à Reuters.

“O ano que vem vai ser um ano crucial para a Europa”, disse Ulrich Grillo, líder da associação industrial BDI. “Estou muito preocupado com o futuro da União Europeia.”

A falta da solidariedade dentro do bloco faz que com que a Europa arrisque todas as conquistas das últimas décadas, disse Hans Peter Wollseifer, presidente da Associação de Negócios Especializados.

A imigração tem elevado as preocupações de segurança e impulsionado o apoio a partidos eurocéticos por toda a Europa, como o partido alemão AfD, a Frente Nacional na França, o Lei e Justiça na Polônia e o Partido UK Independence, que se opões à UE na Grã-Bretanha.

(Reportagem de Gernot Heller)