Eletrobras aprova venda da Celg e adia decisão sobre privatizar 6 distribuidoras

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015 17:44 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A estatal federal Eletrobras autorizou a venda da distribuidora de energia Celg-D, que atende o Estado de Goiás, mas adiou uma decisão sobre a privatização de suas outras seis concessionárias que atendem Acre, Alagoas, Amazonas, Piauí, Rondônia e Roraima, segundo sumário de assembleia geral realizada nesta segunda-feira.

A reunião de acionistas da Eletrobras aprovou ainda a renovação da concessão da Celg-D, bem como a realização de leilão de desestatização da distribuidora na BM&FBovespa, que poderá movimentar ao menos 2,8 bilhões de reais, considerando as parcelas detidas pela estatal federal, pelo Estado de Goiás e empregados e aposentados da companhia.

Segundo o resumo da reunião divulgado pela estatal, a venda da Celg-D fica condicionada à aprovação da conversão da dívida da companhia goiana em moeda estrangeira para reais, proposta que depende de aval da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A Eletrobras havia submetido à apreciação na assembleia um plano para viabilizar a venda de todas suas deficitárias distribuidoras até o final de 2016, mas o assunto --com exceção do item relacionado à Celg-- foi retirado da pauta do encontro "por solicitação do acionista controlador", segundo o documento.

O governo federal também retirou de pauta, na assembleia, um pleito da Eletrobras para que a União "viabilizasse, até o final de 2016, o aumento de capital" de seis distribuidoras (Acre, Alagoas, Amazonas, Piauí, Rondônia e Roraima) e para que fosse autorizada a assinatura da prorrogação dos contratos de concessão dessas companhias, que estão vencidos desde julho deste ano.

O documento sobre a assembleia não revela se e quando os itens não deliberados voltarão a ser discutidos.

(Por Luciano Costa)

 
Placa da empresa de energia brasileira Eletrobras do lado de fora de sua sede no Rio de Janeiro. 20 de agosto de 2014. REUTERS/Pilar Olivares