Omã corta subsídios para reduzir déficit provocado por preço do petróleo

sábado, 2 de janeiro de 2016 18:16 BRST
 

MASCATE (Reuters) - O governo de Omã planeja cortar o gasto com subsídios em quase dois terços neste ano para combater um déficit orçamentário causado pelos baixos preços do petróleo, disse o Ministério das Finanças neste sábado.

A previsão para subsídios em contas de serviços básicos, empréstimos imobiliários e outros bens é 400 milhões de riales (um bilhão de dólares), ante 1,11 bilhão de riales de 2015, disse o ministério num comunicado sobre o orçamento de 2016 divulgado pela ONA, agência de notícias oficial.

No início da semana, o gabinete de Omã aprovou mudanças no subsídio de combustíveis, além de corte de gastos e aumento de impostos para controlar o déficit. Omã há muito concede esses benefícios para seus cidadãos. Mas, como outros países do Golfo, está sendo forçado a diminuí-los devido à queda do petróleo.

O governo prevê déficit de 3,3 bilhões de riales, ou 13 por cento do PIB neste ano, menos do que o déficit de 4,5 bilhões de riales em 2015.

Ele planeja cobrir o déficit com 1,5 bilhão de riales em reservas, com empréstimos de 900 milhões de riales do mercado internacional, 600 milhões com corte de subvenções e 300 milhões de riales com empréstimos no mercado, disse o ministério.

(Reportagem de Fatma Alarimi)