Foxconn planeja redução de jornada e temores sobre produção preocupam investidores da Apple

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016 17:52 BRST
 

TAIPÉ (Reuters) - A Foxconn, que monta a maior parte dos mais recentes iPhones da Apple, reduzirá horas de trabalho na semana do feriado do Ano Novo Lunar, disse uma fonte familiarizada com o assunto, em um raro movimento que analistas interpretaram como um sinal de desaceleração da demanda.

Notícias de desaceleração das vendas e estoques crescentes dos iPhones 6S e 6S Plus, assim como estimativas moderadas de fornecedores, colocaram os investidores Apple em território desconhecido após anos de vendas em expansão e ações em alta.

Mais cedo nesta quarta-feira, o jornal japonês Nikkei, citando fornecedores de componentes, disse que a produção de modelos da Apple seria reduzida em cerca de 30 por cento em janeiro a março e que os revendedores poderiam desovar estoques. As ações da Apple caíram 2,5 por cento e as dos fornecedores recuaram de maneira similar.

"O Ano Novo Chinês é um grande feriado e normalmente há horas extras para trabalhadores. Mas este ano a Foxconn terá uma pausa", disse a fonte, referindo-se ao Ano Novo Lunar, que será em 8 de fevereiro.

A Foxconn disse em declaração que estava "em meio ao planejamento da agenda operacional para o feriado do Ano Novo Lunar", mas não deu detalhes. Representantes da Apple não estavam disponíveis para comentar.

Previsões mornas de desempenho divulgadas em dezembro por fornecedores como Dialog Semiconductor e Jabil Circuit dispararam temores de que as vendas do iPhone podem cair pela primeira vez. Mas analistas têm questionado estes receios.

"A Apple tem ganho mercado significativo em praticamente todas as regiões e não estou vendo uma desaceleração", disse Patrick Moorhead, da Moor Insights & Strategy.

Como um sinal disso, a Apple anunciou nesta quarta-feira que seus usuários gastaram mais de 1,1 bilhão de dólares em aplicativos e compras feitas por aplicativos as duas semanas encerradas em 3 de janeiro, um recorde para o período.

 
Mulher testa iPhone 6 em loja da Apple em Pequim. 2 de novembro de 2015. REUTERS/Kim Kyung-Hoon