Inflação estoura teto da meta em 2015 pela 1ª vez desde 2003 e segue pressionada

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016 11:36 BRST
 

Por Caio Saad e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A inflação oficial ao consumidor brasileiro encerrou 2015 no maior nível em 13 anos e estourou o teto da meta do governo pela primeira vez desde 2003, caminhando para permanecer acima do alvo este ano, diante da valorização do dólar, o que deixa o Banco Central ainda mais sob pressão.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 10,67 por cento no ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Essa é a maior taxa nessa base de comparação desde 2002, quando atingiu 12,53 por cento, e estoura em muito a meta da inflação de 4,5 por cento, com banda de tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

A última vez que o IPCA havia estourado a meta do governo foi em 2003, quando subiu 9,30 por cento. Em 2014, o índice avançou 6,41 por cento, ficando por pouco dentro do limite.

Assim, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, terá que publicar uma carta aberta explicando por que descumpriu a meta. Ele já adiantou que vai reforçar o peso exercido pelo ajuste intenso de preços relativos na economia.

Só em dezembro, o IPCA avançou 0,96 por cento, após alta de 1,01 por cento em novembro, mas apesar da desaceleração esse é o maior patamar para o mês desde 2002 (2,10 por cento).

As expectativas em pesquisa da Reuters eram de alta de 1,05 por cento sobre novembro, atingindo em 12 meses 10,77 por cento.

  Continuação...

 
Sede do Banco Central, em Brasília. 09/12/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino