Inflação estoura teto da meta em 2015 pela 1ª vez desde 2003 e segue pressionada

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016 11:34 BRST
 

Por Caio Saad e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A inflação oficial ao consumidor brasileiro encerrou 2015 no maior nível em 13 anos e estourou o teto da meta do governo pela primeira vez desde 2003, caminhando para permanecer acima do alvo este ano, diante da valorização do dólar, o que deixa o Banco Central ainda mais sob pressão.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acumulou alta de 10,67 por cento no ano passado, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Essa é a maior taxa nessa base de comparação desde 2002, quando atingiu 12,53 por cento, e estoura em muito a meta da inflação de 4,5 por cento, com banda de tolerância de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

A última vez que o IPCA havia estourado a meta do governo foi em 2003, quando subiu 9,30 por cento. Em 2014, o índice avançou 6,41 por cento, ficando por pouco dentro do limite.

Assim, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, terá que publicar uma carta aberta explicando por que descumpriu a meta. Ele já adiantou que vai reforçar o peso exercido pelo ajuste intenso de preços relativos na economia.

Só em dezembro, o IPCA avançou 0,96 por cento, após alta de 1,01 por cento em novembro, mas apesar da desaceleração esse é o maior patamar para o mês desde 2002 (2,10 por cento).

As expectativas em pesquisa da Reuters eram de alta de 1,05 por cento sobre novembro, atingindo em 12 meses 10,77 por cento.

  Continuação...