Setor de energia começa a sair da UTI com novo governo, diz ministro

segunda-feira, 17 de outubro de 2016 12:43 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Os setores de óleo e gás e de energia elétrica começaram a sair da situação de urgência em que se encontravam, com grande crise nas maiores estatais do país, a Petrobras e a Eletrobras, conforme as medidas já anunciadas ou em preparação pelo governo do presidente Michel Temer retomam a confiança dos investidores, disse nesta segunda-feira o ministro interino de Minas Energia, Paulo Pedrosa.

"A Eletrobras finalmente conseguiu voltar a ter suas ações transacionadas na bolsa de Nova York... as empresas do setor elétrico se valorizaram (na bolsa)... o setor de óleo e gás também, basta ver a valorização da Petrobras... passamos por um período de UTI... a sarjeta da UTI foi superada", afirmou Pedrosa, ao participar de evento do setor sucroalcooleiro em São Paulo.

Segundo Pedrosa, a melhoria no cenário é fruto da mudança política adotada pela nova equipe do Ministério de Minas e Energia, incluindo nomeações técnicas para a presidência da Petrobras e da Eletrobras e a sinalização de que o governo agora terá políticas pró-mercado e menos intervencionistas.

Na última sexta-feira, a Petrobras estreiou uma nova política de preços de combustíveis com uma redução 2,7 por cento no diesel e de 3,2 por cento na gasolina nas refinarias.

De acordo com o ministro interino, o setor de etanol não esteve entre as maiores urgências nos primeiros meses de atuação do novo governo, mas deverá ser alvo de diálogo junto aos agentes produtivos.

"O setor de etanol precisa de espaço no primeiro plano da agenda do ministério", disse Pedrosa.

Ele também destacou a necessidade de atenção ao setor de mineração.

"O setor de minas é uma área de enorme importância, de 4 por cento do PIB pode passar a ser 6 por cento do PIB se nós acertarmos", afirmou.

(Por Luciano Costa)