Qualidade do trigo argentino deve subir à medida que demanda cresce, diz associação

segunda-feira, 17 de outubro de 2016 16:02 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - A qualidade da safra de trigo da Argentina vai subir para ajudar a suprir a crescente demanda global à medida que produtores do cinturão de grãos dos Pampas investem mais em fertilizantes e variedades de sementes de alta proteína, disse o diretor da câmara da indústria de trigo do país em entrevista.

A projeção aponta que os estoques globais do grão desta temporada serão os maiores já registrados. Mas estoques do trigo de alta proteína ficaram apertados devido, em parte, à safra dos Estados Unidos, cujo nível de proteína ficou abaixo dos padrões.

Uma safra argentina de trigo de alta proteína ajudaria a preencher a lacuna e reduzir os preços dos alimentos, beneficiando ainda o Brasil, o principal importador do cereal argentino.

Essa temporada de plantio é a primeira sob a gestão do presidente Mauricio Macri, que eliminou as taxas de importação e o controle de mercado usado pela administração anterior para manter o trigo no país e garantir amplos estoques domésticos de alimento.

"Produtores estão investindo e focando em produzir uma safra de trigo de alta qualidade agora que o governo retirou as taxas e cotas de exportação", disse David Hughes, presidente da câmara da indústria de trigo da Argentina, Argentrigo.

Os controles impostos pela administração anterior prejudicaram os lucros de produtores e reduziram o incentivo ao plantio, disse ele.

"No ano passado, o trigo estava em modo de sobrevivência", disse Hughes na entrevista realizada no domingo. "A safra deste ano deve ter uma média de 12 por cento de proteína ante 10,4 por cento na safra 2015/16."

O plantio do trigo argentino ocorre em junho e julho com a colheita terminando em janeiro.

(Por Hugh Bronstein; reportagem adicional de Karl Plume)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))

    REUTERS LM RS