Incêndio próximo a protestos por oleoduto na Dakota do Norte é investigado

domingo, 30 de outubro de 2016 18:03 BRST
 

Por Josh Morgan

CANNON BALL, Dakota do Norte (Reuters) - Autoridades investigavam a causa de um incêndio que queimou cerca de 400 acres próximo de onde líderes nativo-americanos protestavam contra um oleoduto no Estado norte-americano de Dakota do Norte que segundo eles ameaça a água e terras sagradas, disseram autoridades neste domingo.

O incêndio em uma propriedade privada no condado de Morton foi extinguido com a ajuda de helicópteros que jogaram água no local. Autoridades não deram indícios se o fogo foi deliberadamente iniciado ou se possui relação com protestos que ocorrem a poucos quilômetros de distância.

Líderes nativo-americanos prometeram no sábado protestar durante o inverno local contra o oleoduto, acrescentando que estão considerando processos pelo tratamento policial contra manifestantes presos.

Mais de 400 manifestantes foram presos desde 10 de agosto em protestos que atraíram apoio de celebridades como Mark Ruffalo, Shailene Woodley, Susan Sarandon e Chris Hemsworth.

O oleoduto planejado de 1.885 quilômetros, projeto de um grupo de companhias liderado pela Energy Transfer Partners, contornaria a reserva Stand Rock em cerca de 800 metros. Mas a tribo Standing Rock e ativistas ambientais dizem que a construção ameaça suprimentos de água, assim como locais sagrados nativo-americanos.

Apoiadores do projeto dizem que o oleoduto, que teve sua construção paralisada pelo governo federal em setembro, oferece a rota mais rápida e direta de Dakota do Norte para refinarias na Costa do Golfo dos Estados Unidos.