Produção de açúcar cai na comparação quinzenal; sobe ante 2015

segunda-feira, 31 de outubro de 2016 11:45 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A produção de açúcar do centro-sul do Brasil caiu 24 por cento na primeira quinzena de outubro na comparação com a segunda parte de setembro, à medida que a moagem de cana da principal região produtora do país vai caminhando para a sua etapa final, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica).

Com as usinas privilegiando o adoçante em detrimento do etanol, a produção de açúcar ainda registrou alta de 6,8 por cento em relação ao mesmo período do ano passado, apesar de a moagem ter recuado na mesma comparação.

A moagem de cana pelas usinas da região que responde por cerca de 90 por cento da produção do país atingiu 32 milhões de toneladas de cana na primeira metade de outubro, retração de 11,9 por cento em relação à quantidade processada na mesma quinzena da safra anterior e de 24,3 por cento em relação à segunda quinzena de setembro deste ano, informou a Unica.

O mix de cana para açúcar foi de 49,61 por cento do total processado na primeira quinzena de outubro, ante 43,33 por cento no mesmo período do passado, uma vez que os preços do produto têm dado melhores retornos do que o etanol.

No acumulado da safra 16/17, a moagem registrou crescimento de 6 por cento ante o mesmo período do ano anterior, para 505,5 milhões de toneladas, após usinas terem iniciado o ano-safra mais forte.

A Unica apontou ao final de setembro que a moagem de cana do centro-sul do Brasil na temporada 2016/17 poderá cair em relação à temporada anterior, com muitas unidades produtoras encerrando a safra antecipadamente.

A associação afirmou anteriormente, citando problemas climáticos, que o processamento deverá ficar próximo do limite inferior da previsão publicada em abril, que varia de 605 milhões a 630 milhões de toneladas. Na temporada passada, a moagem somou um recorde 617,7 milhões de toneladas.

No relatório desta segunda-feira, a Unica afirmou que a produtividade agrícola, segundo dados preliminares apurados pelo Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), caiu 13,1 por cento na primeira metade de outubro em comparação ao mesmo período de 2015. A maior quebra agrícola foi registrada em Goiás (20,91 por cento), Estado bastante afetado pela seca no primeiro trimestre.

Na primeira quinzena de outubro, 13 unidades produtoras encerraram a safra 2016/17, elevando para 31 o número de empresas com safra encerrada no centro-sul.   Continuação...