Brasil perde fatia na exportação global de café em 2015/16

segunda-feira, 31 de outubro de 2016 18:21 BRST
 

(Reuters) - O Brasil, maior produtor e exportador global de café, exportou 34 milhões de sacas do grão no ano internacional da commodity 2015/16 (outubro/setembro), recuo de 6,7 por cento na comparação com o período anterior, e o país perdeu participação de mercado, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pela Organização Internacional do Café (OIC).

As exportações globais atingiram 111,83 milhões de sacas de 60 kg, queda de 0,7 por cento ante 2014/15.

Dessa forma, o Brasil ficou com 30,4 por cento do mercado global de café em 2015/16, ante 32,36 por cento no ano anterior.

No ano 2015/16, as exportações globais foram pressionadas por uma baixa de quase 7 por cento nos embarques de café robusta, para 40,8 milhões de sacas.

Já as exportações globais de café arábica, tradicionalmente o principal tipo exportado pelo Brasil, aumentaram 3,2 por cento, para cerca de 71 milhões de sacas.

Enquanto as exportações do Brasil sofreram queda drástica em alguns meses que antecederam a entrada da nova safra este ano --e foram atingidas também por seguidas fracas colheitas de café robusta afetadas por seca--, outras nações como Peru e Vietnã aumentaram os embarques em 2015/16.

Segundo a OIC, as exportações do Vietnã (maior exportador de robusta) subiram 7,7 por cento no ano, para 22,9 milhões de sacas, enquanto o Peru elevou os embarques em mais de 40 por cento, para 3,5 milhões de sacas.

Além do Brasil, a Indonésia --grande exportador de café robusta-- registrou queda nas exportações anuais, de 24,7 por cento, para 6,1 milhões de sacas.

Já a Colômbia, exportador de café arábica de alta qualidade, embarcou 12,3 milhões de sacas, ligeira alta de 0,4 por cento.

(Por Roberto Samora)