Chefe do BC do México diz que país prepara plano de contingência para eleição dos EUA

quinta-feira, 3 de novembro de 2016 14:56 BRST
 

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O México está preparando um plano de contingência para um resultado "adverso" na eleição presidencial dos Estados Unidos, disse o presidente do Banco Central mexicano, Agustín Carstens, que já disse que uma vitória de Donald Trump atingiria seu país como um furacão.

"Se a situação adversa se materializar, é previsível que as autoridades mexicanas reajam de alguma maneira. É um plano de contingência que estamos discutindo com o Ministério das Finanças, esperamos não ter que usá-lo", disse Carstens à televisão Milenio no final da quarta-feira.

Sem mencionar o republicano Trump, Carstens disse haver um candidato "adverso" para o México na votação de 8 de novembro. Ela ainda observou que pode haver volatilidade no mercado após o pleito, independentemente do vencedor.

"Seja como for, nós, as autoridades, precisaríamos ajustar nossa formulação de políticas se necessário", acrescentou, sem dar detalhes do plano de contingência.

As ameaças de Trump de descartar um acordo comercial com o México e construir um grande muro na fronteira, além de seus ataques a empresas dos EUA que investem no país vizinho, vêm assustando os investidores, e com isso prejudicando o peso mexicano.

No dia 30 de setembro, Carstens comparou uma vitória de Trump a um furacão se abatendo sobre o México, e disse que um triunfo da candidata democrata Hillary Clinton seria melhor para a economia.

(Por Dave Graham e Adriana Barrera)

 
Agustín Carstens concede entrevista em Washington.  8/10/2016. REUTERS/Yuri Gripas