Reino Unido deve acabar com regras "insustentáveis" em pensões, diz comitê parlamentar

domingo, 6 de novembro de 2016 13:20 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido deve acabar com seu sistema de aumentos garantidos na pensão de cidadãos aposentados, afirmou um comitê de parlamentares neste domingo, ao chamar essas regras de "inerentemente insustentáveis" e injustas com as novas gerações.

Desde junho de 2010, o sistema de pensões estatais do Reino Unido tem garantido reajustes pelo que for mais vantajoso entre três índices: a inflação oficial, o crescimento médio da renda ou 2,5 por cento, em um mecanismo criado para cortejar os britânicos idosos, que tipicamente vão às urnas em peso nas eleições gerais.

Um relatório do Comitê de Trabalho e Pensões do parlamento disse que esse mecanismo teve sucesso em elevar a renda dos pensionistas, mas precisa ser substituído por um sistema mais justo após a próxima eleição, em 2020.

"O mecanismo é inerentemente sustentável", disse o relatório. "Na falta de reformas, o sistema de pensões estatal vai inevitavelmente crescer em um ritmo mais rápido que a renda dos trabalhadores, e vai representar uma fatia ainda maior da renda nacional".

O relatório do comitê sobre o que chamou de "injustiça entre gerações" disse que a economia está distorcida, favorecendo os 'baby boomers', nascidos entre 1946 e 1965, em detrimento dos 'millenials', que nasceram entre 1980 e 2000.

"Os `millenials` estão sendo a primeira geração a ser mais pobre que a anterior", disse o parlamentar Frank Field, presidente do comitê. "Ao mesmo tempo em que eles estão apertando seus cintos, estão sendo chamados a apoiar um grupo que tem se dado relativamente bem nos últimos anos".

(Por William James)