China começa a construir seu primeiro reator nuclear flutuante

segunda-feira, 7 de novembro de 2016 15:09 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China começou a construir seu primeiro reator nuclear flutuante e pretende lançá-lo de sua costa até o fim da década.

O reator, de 200 megawatts, vai ajudar a fornecer energia para instalações chinesas em mar aberto e em ilhas, disse a estatal China General Nuclear Power Group (CGN), acrescentando que o fornecimento de energia offshore é uma questão que a China tem de superar para se tornar uma potência naval.

A CGN afirmou que iniciou a construção do reator ACPR50S e que vai adquirir junto à da Dongfang Electric o reservatório de pressão da unidade, que cerca o núcleo do reator.

O projeto ACPR50S foi aprovado mais cedo neste ano pela Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, órgão estatal de planejamento econômico da China, junto com planos para o reator flutuante ACP100S, da China National Nuclear Corp, e uma proposta da China Shipbuilding Industry Corp para transformar uma unidade militar nuclear offshore em uma estação de energia flutuante para uso civil.

Em julho, a mídia estatal chinesa disse que o país pretende inaugurar uma série de plataformas offshore de energia nuclear para promover o desenvolvimento no Mar do Sul da China, logo após um tribunal internacional determinar que Pequim não tinha direito histórico sobre a maior parte das águas da região.

A soberania sobre o Mar do Sul da China é disputada pela China, pelas Filipinas, Vietnã, Malásia, Brunei e Taiwan, e qualquer manobra para construir reatores nucleares poderá aumentar a tensão na região.

Os reatores flutuantes foram primeiramente propostos nos Estados Unidos em 1970, mas a ideia foi abandonada. A primeira demonstração da tecnologia deve ser lançada no próximo ano na Rússia.

(Muyu Xu e Ryan Woo)