Ações europeias sobem antes da eleição nos EUA

segunda-feira, 7 de novembro de 2016 15:50 BRST
 

MILÃO/LONDRES (Reuters) - As ações europeias fecharam em alta nesta segunda-feira, sustentadas pelos papéis bancários mais fortes, com a notícia de que a Hillary Clinton não enfrentaria acusações sobre o uso de emails, o que deu para a candidata democrata um impulso antes de 8 de novembro, dia da eleição presidencial nos Estados Unidos.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em alta de 1,70 por cento, a 1.318 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 subiu 1,53 por cento. Na semana passada, o índice pan-europeu registrou a maior perda semanal desde fevereiro com a incerteza sobre o resultado da eleição norte-americana.

Os mercados estavam posicionados para a vitória de Hillary até a oscilação registrada na semana passada. Ela é vista como uma candidata que oferece maior segurança e estabilidade para os investidores.

Hillary teve um novo impulso sobre o rival republicano Donald Trump depois de o FBI informar no domingo que manteve a sua decisão anterior de que nenhuma acusação criminal era justificada sobre os emails da candidata democrata.

Os analistas do Deutsche Bank disseram que uma vitória de Hillary poderia elevar o índice STOXX em cerca de 5 por cento, enquanto a incerteza ligada a uma vitória do Trump poderia fazer o índice cair de 5 a 10 por cento. Várias pesquisas deram a Clinton vantagem de 3 a 6 pontos nesta sessão.

Nenhum setor foi negociado no vermelho. O do setor bancário subiu 2,85 por cento, ajudado pelo salto de 4,6 por cento no HSBC. O banco focado nos mercados emergentes mostrou forte ganho em seu capital principal, reforçando as perspectivas de pagamento de dividendos a curto prazo.

Em LONDRES, o índice Financial Times avançou 1,70 por cento, a 6.806 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX subiu 1,93 por cento, a 1.456 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 ganhou 1,91 por cento, a 4.461 pontos.   Continuação...