Preços do carvão caem após China elevar taxas; medida limita ganhos do aço e minério

terça-feira, 8 de novembro de 2016 10:50 BRST
 

MANILA (Reuters) - Os preços futuros do carvão de coque, matéria-prima da indústria siderúrgica, caíram quase 3 por cento nesta terça-feira na China, recuando de máximas após as bolsas elevarem taxas em um movimento aparentemente coordenado para limitar a especulação.

A alta das taxas pelas bolsas também reduziu os ganhos nos preços dos contratos futuros de minério de ferro na China.

Antes, os futuros do minério chegaram a subir mais de 3 por cento nesta terça-feira, para perto de uma máxima de dois anos, com um sustentado rali nos preços do aço apoiando a demanda pela matéria-prima.

Com as medidas o carvão negociado em Dalian fechou em baixa de 2,8 por cento, a 1.422,50 iuanes (210 dólares) a tonelada, após subir até 5,5 por cento para um recorde de 1.544 iuanes.

O minério de ferro para janeiro mais negociado na bolsa de Dalian fechou a 519 dólares a tonelada, alta de 2 por cento, após ter tocado máxima de 529,50 iuanes.

O preço do minério de ferro no mercado à vista subiu 1 dólar, para 67,80 dólares por tonelada, o maior nível desde abril, de acordo com o The Steel Index.

Os ganhos do minério vieram em meio a dados que mostraram uma queda nas importações de minério de ferro pela China em outubro para os menores níveis desde fevereiro.

Os analistas avaliam que a queda pode ter mais relação com as interrupções dos embarques do que com a fraca demanda chinesa.

Os vergalhões de aço na bolsa de Xangai ganharam 1,3 por cento e fecharam a 2.836 iuanes por tonelada, após tocarem 2.933 iuanes, o seu mais valor desde setembro de 2014.

(Por Manolo Serapio Jr.)