Excesso e falta de chuvas afetam plantio de soja em diferentes regiões argentinas

segunda-feira, 14 de novembro de 2016 15:30 BRST
 

BUENOS AIRES (Reuters) - O excesso e a falta de umidade no solo dificultam, simultaneamente, o plantio de soja da temporada 2016/17 em regiões distintas da principal província agrícola da Argentina, disse nesta segunda-feira um especialista em clima para a agricultura.

O oeste da extensa província de Buenos Aires, que tem a maior produção de grãos do país, sofre com inundações depois de amplas chuvas recentes, enquanto os produtores do sul da província aguardam precipitações para poder começar os trabalhos da nova temporada.

Na sexta-feira, os contratos futuros da soja abriram em alta na bolsa de Chicago devido a temores de atraso no plantio na Argentina, terceiro maior exportador do grão, atrás do Brasil e dos Estados Unidos.

"O oeste de Buenos e o sudeste da província de Córdoba já têm uma complexidade que não vai ser resolvida nos próximos 15 ou 20 dias", disse o meteorologista Germán Heinzenknecht da Consultora de Climatologia Aplicada (CCA).

"E todas as regiões do sul de Buenos Aires estão bastante secas", acrescentou. Segundo ele, o mês de novembro começou ruim em termos de chuvas nesta regiões, com acumulados de 5 ou 10 milímetros, o que poderá atrasar o plantio.

Ele ressaltou que o norte de Buenos Aires tem plantio que avança sem dificuldades.

(Por Maximilian Heath)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 5644 7762))

REUTERS GB RS