Aurelius lidera formação de grupo dissidente de detentores de bônus da Oi, diz fonte

segunda-feira, 14 de novembro de 2016 17:54 BRST
 

Por Ana Mano

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de investimentos Aurelius Capital Management está por trás de um grupo dissidente de detentores de bônus da Oi que surgiu na semana passada, informou à Reuters uma fonte com conhecimento direto do assunto.

O novo grupo vai anunciar em breve um assessor financeiro para lidar com as negociações com a operadora de telecomunicações, hoje em recuperação judicial, disse a fonte.

Houlihan Lokey, com sede em Nova York, é uma das empresas na disputa pelo posto de assessor financeiro do grupo, mas nenhuma decisão foi tomada até o momento.

Este é o segundo grupo formado por detentores de títulos da Oi para negociar de forma coletiva com a empresa. Isso vai dar mais complexidade às conversas sobre reestruturação da dívida da Oi, em meio a declarações de autoridades do governo, de que quer influenciar de forma a garantir a sobrevivência da empresa.

Além dos problemas com os credores, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) recentemente suspendeu dois membros do conselho, representantes de minoritários, alegando que eles influenciam decisões sem aval regulatório formal.

O segundo grupo de detentores de bônus disse na semana passada que investidores representando 1,5 bilhão de dólares em valor de face de títulos da Oi querem "construir um plano de reorganização viável e operacional" para a operadora.

A maioria das empresas de investimento deste grupo tem títulos emitidos pelas duas subsidiárias financeiras da Oi com sede na Holanda --Portugal Telecom International Finance BV e Oi Brasil Holdings Cooperatif UA.

Aurelius, Houlihan Lokey e o escritório de advocacia Dechert LLP, assessores legais do novo grupo de detentores de títulos, não responderam aos pedidos de comentários.

O primeiro grupo de donos de bônus formado para tentar negociar coletivamente com a Oi está sendo orientado pela Moelis & Co., que está trabalhando em conjunto com o bilionário egípcio Naguib Sawiris para apresentar uma reorganização alternativa.

No entanto, a base de investimento da Moelis encolheu para cerca de 4 bilhões de dólares do valor de face dos títulos da Oi, disse uma segunda fonte com conhecimento da estratégia da Moelis, após dois investidores que têm cerca de 400 milhões de dólares dos bônus deixarem o grupo original para negociar com o grupo dissidente da Aurelius.