17 de Novembro de 2016 / às 19:17 / em 9 meses

Dólar tem leve baixa ante real, longe da mínima, com apostas de juros altos nos EUA

Pacote de notas de cinco dólares dos Estados Unidos são inspecionados em Washington, nos EUA 26/03/2015Gary Cameron/File Photo

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou com ligeira baixa nesta quinta-feira, longe das mínimas do dia com mais apostas de que o Federal Reserve, banco central norte-americano, elevará em breve os juros do país, o que tende a atrair recursos aplicados em outros mercados, como o brasileiro.

O cenário externo acabou amortecendo parte da atuação do Banco Central brasileiro, que continuou atuando no mercado de câmbio após as fortes e recentes altas do dólar.

O dólar recuou 0,08 por cento, a 3,4189 reais na venda, segunda queda seguida, acumulando perdas de 0,64 por cento. O dólar futuro registrava leve alta de cerca de 0,05 por cento no final desta tarde.

Na mínima do dia, o dólar chegou a 3,3876 reais e, na máxima, a 3,4290 reais.

A eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos não alterou em nada os planos do Federal Reserve, banco central norte-americano, de aumentar a taxa de juros "relativamente em breve", disse nesta sessão a chair do Fed, Janet Yellen, em depoimento no Congresso que incluiu a promessa de cumprir o seu mandato.

Foi a primeira manifestação pública de Yellen após a vitória de Trump, acrescentando que o Fed mudaria sua perspectiva se necessário, conforme a nova administração lançasse planos para, talvez, cortar impostos em centenas de bilhões de dólares e fazer gastos governamentais adicionais. Ela também sugeriu que o novo governo tenha em mente que os EUA estão perto do pleno emprego e a inflação pode estar aumentando.

Além disso, importantes indicadores econômicos nos Estados Unidos foram divulgados mais cedo, reforçando ainda mais a visão de uma política monetária mais apertada. O Fed se reúne novamente em dezembro, com as apostas majoritárias do mercado de que elevará os juros.

Pela manhã, o dólar chegou a marcar 1 por cento de queda frente ao real influenciado pelos leilões de swap tradicional, equivalente à venda futura de dólares, pelo BC.

"O BC entrou pesado ontem e avisou que repetiria o movimento hoje", comentou o operador da Ouro Minas Corretora, Maurício Gaioti. "Mas o mercado está respeitando o nível de 3,40 reais e, quando vai abaixo, atrai compradores", completou.

O BC vendeu todos os 10 mil novos contratos de swap tradicional e também todos os 20 mil para rolagem dos swaps que vencem em 1º de dezembro.

"O BC deve continuar por mais alguns dias com o leilão de swap com novas ofertas, a moeda (norte-americana) segue em patamar elevado", comentou um profissional de um banco nacional.

Entre os dias 9 e 14 deste mês, o dólar saltou quase 9 por cento sobre o real com forte onda de aversão ao risco após a eleição de Trump. Investidores acreditam que a sua política econômica pode ser inflacionária, o que pressionaria o Fed a elevar ainda mais os juros, aumentando a possibilidade de atrair recursos aplicados hoje em outros mercados, como o brasileiro.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below