Volkswagen faz acordo com sindicatos para corte de 30 mil empregos

sexta-feira, 18 de novembro de 2016 18:47 BRST
 

Por Andreas Cremer e Jan Schwartz

WOLFSBURG, Alemanha (Reuters) - A Volkswagen e sindicatos de trabalhadores acertaram um acordo para corte de 30 mil empregos na marca central do grupo automotivo em troca por compromisso da empresa de evitar novas demissões forçadas na Alemanha até 2025.

Além da Alemanha, as vagas a serem eliminadas estão na América do Norte, Brasil e Argentina, informou a companhia, sem dar detalhes. Cerca de 120 mil funcionários trabalham para a marca Volkswagen na Alemanha, incluindo 6 mil temporários.

A unidade brasileira do grupo informou em comunicado que dos 5 mil cortes divulgados pela matriz no Brasil em cinco anos a partir de 2016, 2 mil já foram realizados neste ano. A empresa também prevê cortes de 2 mil funcionários na Argentina no período, dos quais 1.000 foram realizados em 2016.

"Os 7.000 postos de trabalho (a serem cortados) na América do Sul (...) já estão previstos nas negociações com os sindicatos", afirmou a subsidiária brasileira. "A consolidação do volume adicional vai depender da evolução do mercado nesses países durante a vigência do acordo com os sindicatos", acrescentou a companhia.

No Brasil, a Volkswagen emprega cerca de 20 mil funcionários em quatro fábricas.

Na semana passada, o presidente da companhia para América do Sul, Central e Caribe, David Powels, anunciou investimentos de 7 bilhões de reais no Brasil até 2020.

Os cortes de vagas foram anunciados no mesmo dia em que a empresa divulgou plano de recuperação que pretende gerar 3,7 bilhões de euros em economias anuais até 2020 e elevar a margem operacional da marca Volkswagen para 4 por cento, ante 2 por cento esperados para este ano.

A meta, porém, continua abaixo do desempenho apresentado por rivais europeias como a Renault e Peugeot-Citroen, que miram margem operacional de 6 por cento em 2021.   Continuação...