Zuckerberg revela medidas para combater notícias falsas no Facebook

sábado, 19 de novembro de 2016 18:28 BRST
 

Por David Bailey

(Reuters) - O Facebook Inc que enfrenta críticas por não ter evitado uma enxurrada de notícias falsas de serem compartilhadas na rede social antes da eleição norte-americana, está tomando uma série de medidas para eliminar boatos e outros tipos de mentiras de seus feeds, disse na sexta-feira o presidente da empresa, Mark Zuckerberg.

    O Facebook insiste há tempos que é uma empresa de tecnologia e não de mídia, e por isso rejeita a ideia de ser responsável pelo conteúdo que seus usuários publicam e compartilham na plataforma. Pouco após a eleição, Zuckerberg afirmou que a noção de que informações mentirosas publicadas no Facebook ajudaram a eleger Donald Trump era uma "ideia maluca".

    Ele então afirmou no último sábado que mais de 99 por cento do que as pessoas veem no Facebook é autêntico, dizendo que há "apenas uma pequena porção" de informações mentirosas e boatos.

    Mas naa sexta-feira ele postou uma nota em tom totalmente diferente. Zuckerberg afirmou que o Facebook está trabalhando no assunto há muito tempo, e disse que o problema é complexo tanto técnica como filosoficamente.

    "Embora a porcentagem de desinformação seja relativamente pequena, temos muito mais trabalho à frente no nosso planejamento", afirmou.

    Ele listou uma série de medidas que já estão sendo implementadas na rede social, como maior automação para "detectar o que as pessoas sinalizam como falso antes mesmo que elas o façam".

    Ele também disse que o Facebook tornará mais fácil o relato de conteúdo falso, trabalhará com terceiros e jornalistas para checagem de fatos e explorará símbolos de alerta para conteúdos tidos como falsos. A empresa também tentará impedir que fornecedores de notícias falsas ganhem dinheiro por meio de seu sistema de publicidade, como foi previamente anunciado.

    (Reportagem de David Bailey em Minneapolis)