Economistas veem dólar mais alto e inflação mais fraca em 2016

segunda-feira, 21 de novembro de 2016 10:23 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A expectativa para a inflação neste ano melhorou pela segunda vez seguida, mas as perspectivas para a atividade econômica pioraram na pesquisa Focus do Banco Central, enquanto os economistas consultados voltaram a elevar a projeção para o dólar frente ao real.

O levantamento, divulgado nesta segunda-feira, apontou queda de 0,04 ponto percentual na projeção para a alta do IPCA em 2016, para 6,80 por cento por cento. Para 2017 a estimativa permaneceu em 4,93 por cento.

Sobre o dólar, o mercado passou a ver a moeda norte-americana cotada a 3,30 reais no final deste ano, contra 3,22 reais anteriormente. Para o ano que vem não houve mudança na projeção do dólar a 3,40 reais.

Já em relação ao Produto Interno Bruto (PIB) a estimativa passou a ser de uma contração de 3,40 por cento em 2016, sobre recuo de 3,37 por cento anteriormente, enquanto a perspectiva de recuperação no ano que vem diminuiu a 1 por cento, 0,13 ponto percentual a menos.

O IBGE divulga na quarta-feira os dados de novembro do IPCA-15. Já o Índice de Atividade Econômica do BC, espécie de sinalizador do PIB, mostrou na semana passada que a contração acelerou no terceiro trimestre para uma taxa de 0,78 por cento.[nL1N1DI0EL]

Em relação à taxa básica de juros, permanece a expectativa de corte de 0,25 ponto percentual na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do ano, no final deste mês, com a Selic --atualmente em 14 por cento-- terminando 2016 a 13,75 por cento. Para o final de 2017 a mediana das projeções continuou indicando 10,75 por cento.

As instituições que mais acertam as estimativas, o chamado Top-5, também não alteraram sua perspectiva de Selic a 13,75 por cento este ano, mas passaram a ver a taxa básica de juros a 11,25 por cento em 2017, sobre 11,50 por cento.

(Por Camila Moreira)

 
Logo do Banco Central visto na sede, em Brasília.      15/01/2014       REUTERS/Ueslei Marcelino