Bovespa sobe 1,85% e recupera os 61 mil pontos; Banco do Brasil é destaque positivo

segunda-feira, 21 de novembro de 2016 20:05 BRST
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta nesta segunda-feira e retomou o patamar dos 61 mil pontos, com as ações do Banco do Brasil liderando os ganhos, após a instituição financeira anunciar plano de reestruturação destinado a reduzir custos, e com cenário externo mais favorável corroborando o tom positivo.

O Ibovespa subiu 1,85 por cento, a 61.070 pontos, recuperando o patamar perdido há pouco mais de uma semana, em meio às preocupações com as políticas do próximo governo dos Estados Unidos, sob o comando do republicano Donald Trump.

O volume financeiro somou 10,8 bilhões de reais, sendo que deste total, 3,28 bilhões de reais foram relativos ao exercício de opções sobre ações.

A alta nos preços do petróleo no mercado internacional ajudou a encorajar a tomada de risco nesta sessão e impulsionou os ganhos da Petrobras. A alta da commodity também favoreceu o desempenho positivo nas bolsas norte-americanas, com seus principais índices atingindo máximas históricas intradia.

A melhora no humor externo, no entanto, não tirou do radar a cautela com a expectativa pelo governo de Trump, com investidores monitorando a formação da equipe do republicano e à espera de sinalizações de como será a condução de seu governo.

Já no front local, o cenário político voltou a ser monitorado por investidores, após a acusação do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de ter sido pressionado pelo ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, para liberação de empreendimento na Bahia. Durante a tarde o governo confirmou a permanência do ministro no cargo, embora operadores sigam monitorando potenciais desdobramentos do acontecimento.

DESTAQUES   Continuação...

 
Homem aponta para telão que mostra o gráfico das recentes flutuações dos índices de mercado na Bovespa, em São Paulo
07/01/2016
REUTERS/Paulo Whitaker