Diferença de rendimento de títulos de Alemanha e EUA volta a máxima com promessa de suporte do BCE

terça-feira, 22 de novembro de 2016 07:13 BRST
 

Por John Geddie

LONDRES (Reuters) - A diferença entre os rendimentos dos títulos da Alemanha e dos Estados Unidos voltou a atingir máximas de várias décadas, nesta terça-feira, depois que autoridades do Banco Central Europeu (BCE) ajudaram a conter recentes vendas generalizadas na dívida do bloco ao reafirmarem o compromisso com a política monetária frouxa.

Depois de terem subido com força nas últimas semanas devido às expectativas de inflação global mais alta derivada da expansão fiscal nos EUA sob a Presidência de Donald Trump, os rendimentos de 10 anos dos títulos alemães caíram 0,04 ponto percentual, para 0,24 por cento, nesta terça-feira.

Isso levou a diferença entre os títulos alemães e os equivalente norte-americanos para 2,07 pontos percentuais, maior do que em qualquer fechamento do mercado desde ao menos 1990, de acordo com dados da Reuters.

Duas autoridades do BCE afirmaram na segunda-feira que o BCE precisa continuar a sustentar a economia da zona do euro com sua política monetária ultrafrouxa, cimentando expectativas de uma expansão do esquema de compra de títulos do banco no próximo mês.