Comitê de detentores de bônus da Oi pede ordem judicial para obter respostas da empresa

terça-feira, 22 de novembro de 2016 10:00 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O comitê diretivo do grupo ad hoc de detentores de bônus da Oi apresentou na véspera petição nos autos da recuperação judicial da operadora de telecomunicações requerendo imediata ordem judicial para que a companhia responda aos diversos pedidos de informações formulado pelos credores.

A petição inclui uma lista detalhada de perguntas acerca da recuperação judicial formulada por credores e ordem judicial para que a Oi apresente respostas por escrito para todas as informações solicitadas, bem como apresente listas de credores separadas para cada uma das empresas em recuperação judicial.

Na visão do comitê, tais pedidos "ajudarão todos os credores a entender, avaliar e, finalmente, negociar o plano de recuperação judicial da companhia".

Citando a Moelis & Co., assessoria financeira do comitê ad hoc de detentores da bônus, a nota diz ainda que comitê "continua desapontado pela falta de engajamento da companhia com seus maiores credores, sendo lamentável o fato de que tivemos que recorrer ao juízo da recuperação para obter respostas da companhia".

O comitê diretivo e seus assessores também reiterou que têm continuado os esforços em conjunto com outros credores e um parceiro estratégico - o bilionário egípcio Naguib Sawiris - a fim de desenvolver um plano de recuperação alternativo.

Na semana passada, uma fonte afirmou à Reuters que a empresa de investimentos Aurelius Capital Management está por trás de outro grupo dissidente de detentores de bônus da Oi que surgiu na semana anterior para negociar de forma coletiva com a operadora.

A Oi informou na segunda-feira que contratou a Laplace Finanças como assessora financeiro para auxiliá-la no processo de recuperação judicial, incluindo suas subsidiárias.

(Por Paula Arend Laier)