Alimentos caem e IPCA-15 tem menor alta para novembro em 9 anos

quarta-feira, 23 de novembro de 2016 09:53 BRST
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de alimentação mostraram recuo em novembro e a prévia da inflação oficial no Brasil registrou o menor resultado para o mês em nove anos, indo abaixo de 8 por cento no acumulado em 12 meses e pavimentando o caminho para o Banco Central dar continuidade ao afrouxamento monetário.

Em novembro, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 0,26 por cento, após alta de 0,19 por cento no mês anterior. Embora o resultado tenha mostrado aceleração na comparação mensal, a leitura é a mais baixa pra novembro desde que registrou 0,23 por cento em 2007.

Com isso, os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que a alta acumulada em 12 meses recuou de maneira expressiva, a 7,64 por cento até novembro, contra 8,27 por cento em outubro.

Esse é o nível mais baixo desde fevereiro de 2015 (7,36 por cento), mas ainda permanece bem acima do teto da meta de inflação --de 4,5 por cento pelo IPCA, com margem de 2 pontos percentuais.

Os resultados de novembro ficaram ligeiramente abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters com economistas, de alta de 0,28 por cento na base mensal, chegando a 7,66 por cento em 12 meses.

Segundo o IBGE, os preços de alimentos recuaram 0,06 por cento em novembro e, ainda que o ritmo de queda tenha perdido força após recuo de 0,25 por cento em outubro, o resultado mostra que vários produtos ficaram mais baratos.

O destaque foi o leite longa vida, com queda nos preços de 10,52 por cento, o que fez do produto o principal impacto de baixa no índice do mês, de -0,12 ponto percentual.

Também apresentaram queda os preços de Vestuário, de 0,03 por cento em novembro, após alta de 0,36 por cento no mês anterior.   Continuação...