Dólar sobe ante real com exterior e sem BC

quarta-feira, 23 de novembro de 2016 11:30 BRST
 

Por Claudia Violante

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar operava em alta ante o real nesta quarta-feira, mantendo o movimento da véspera e acompanhando a cena externa com investidores adotando cautela, e após o Banco Central brasileiro indicar que não deve atuar no mercado, pelo menos por enquanto.

Às 10:40, o dólar avançava 0,76 por cento, a 3,3820 reais na venda, depois de subir 0,13 por cento na sessão passada. O dólar futuro operava com alta de cerca de 0,60 por cento.

"O BC acabou a rolagem (de swaps tradicionais) e está fora do mercado. Nos Estados Unidos, a agenda tem muitos indicadores importantes e que podem influenciar os ativos, o que faz os investidores ficarem na defensiva", comentou o diretor de câmbio da Intercam Corretora de Câmbio, Jaime Ferreira.

No pregão passado, o BC encerrou a rolagem dos swaps tradicionais --equivalentes à venda futura de dólares-- que vencem no dia 1º de dezembro e, à noite, não anunciou leilões para esta sessão.

A atuação da autoridade monetária veio após a surpreendente vitória de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos, nas eleições do dia 8 passado, que alimentou forte onda de aversão ao risco nos mercados globais com o temor de que sua política econômica possa ser inflacionária e pressionar o Federal Reserve, banco central do país, a elevar ainda mais os juros.

Com isso, além de o BC brasileiro fazer leilões de swaps tradicionais para rolagem, ele também vendeu novos contratos, elevando o estoque. Nesta semana, no entanto, ele apenas fez leilões para rolagem.

Até a eleição de Trump, o BC vinha apenas realizando leilões de swaps cambiais reversos, que equivalem à compra futura de dólares, para reduzir os estoques de swaps tradicionais, atualmente em cerca de 26,6 bilhões de dólares.

"Não está previsto nenhum leilão para hoje e amanhã é feriado lá fora, o que traz esse movimento defensivo global", comentou o operador da Advanced Corretora, Alessandro Faganello, referindo-se ao feriado norte-americano do Dia de Ação de Graças, que manterá os mercados financeiros locais fechados.   Continuação...

 
Notas de real e dólar em casa de câmbio no Rio de Janeiro. 10/09/2015        REUTERS/Ricardo Moraes