Zona do euro enfrenta riscos à dívida e estabilidade por agitação política, diz BCE

quinta-feira, 24 de novembro de 2016 10:31 BRST
 

FRANKFURT (Reuters) - A agitação política de ambos os lados do Atlântico está aumentando o risco à estabilidade financeira na zona do euro, o que pode aumentar a preocupação com a capacidade de alguns países de financiar sua dívida, disse o Banco Central Europeu (BCE).

As eleições e os referendos poderiam mudar fundamentalmente o cenário político, provocando fluxos repentinos de capital e volatilidade do mercado, agravando as dificuldades para um bloco já debilitado pelo fraco crescimento e pela vulnerabilidade diante da alta dos juros e dos rendimentos, disse o BCE em um relatório que normalmente não é negativo.

A eleição presidencial dos Estados Unidos e a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia desencadearam crises de volatilidade no mercado, enquanto o referendo constitucional de 4 de dezembro da Itália poderia reiniciar uma fuga de capital, especialmente se o "não" prevalecer e derrubar o governo do primeiro-ministro Matteo Renzi.

As eleições na França e na Alemanha se aproximam, com partidos populistas e anti-Europa ganhando força, o que aumenta o risco de os governos combaterem as ameaças com políticas protecionistas e nacionalistas.

"Uma maior incerteza política pode levar a agendas políticas mais focadas no âmbito doméstico e que inibem o crescimento", disse o BCE em uma revisão regular.

"Isso, por sua vez, poderia adiar as tão necessárias reformas fiscais e estruturais e poderia, no pior dos casos, reativar as pressões sobre os países mais vulneráveis", acrescentou.

(Por Francesco Canepa e Balazs Koranyi)