Azerbaijão sinaliza que Opep quer grandes cortes de países não membros

quinta-feira, 24 de novembro de 2016 13:52 BRST
 

BAKU/DUBAI/MOSCOU (Reuters) - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) poderá pedir a países não membros que promovam grandes cortes na produção, disse o Azerbaijão nesta quinta-feira, destacando os desafios para se chegar a um acordo conforme ambos os lados entram nos estágios finais das conversas para cortar a produção e estabilizar os preços do petróleo.

O ministro do petróleo do Azerbaijão, que não é membro da Opep, foi citado por um jornal como tendo dito que o cartel pode querer que os países não membros cortem a produção em até 880 mil barris por dia (bpd), um número que analistas dizem que poderia ajudar a eliminar o excesso de oferta e começar a aliviar os estoques, que estão em nível recorde.

No entanto, o ministro de Energia da Rússia, o maior produtor não membro da Opep, disse que não ouviu falar de tal proposta, e que a sugestão anterior da Opep havia sido para que os países de fora do grupo reduzissem a produção em 500 mil barris.

Uma fonte na Opep disse à Reuters que o grupo ainda não decidiu sobre os números finais a serem discutidos em um encontro em 28 de novembro, quando especialistas da Opep e de fora do cartel se encontrarão em Viena.

"Pode-se esperar que os membros da Opep peçam aos países de fora do grupo para cortar volumes de produção nos próximos seis meses começando em 1° de janeiro de 2017...em 880 mil barris ante a produção diária total", disse o ministro de petróleo do Azerbaijão, Natig Aliyev, segundo o jornal Respublika.

A Opep tem insistido há tempos que quer que países produtores de fora do grupo participem devidamente dos cortes de produção para apoiar os preços, citando tensões no início do milênio, quando a Rússia prometeu participar dos cortes mas ao invés disso elevou a produção.

(Por Nailia Bagirova, Rania El Gamal e Olesya Astakhova)