24 de Novembro de 2016 / às 22:07 / 9 meses atrás

Vale e BHP ofertarão crédito à Samarco em 2017; podem ter que pagar acordo com União

Fachada da Samarco, joint venture entre Vale e BHP Billiton em Mariana, no Estado de Minas Gerais, no Brasil 11/11/2015Ricardo Moraes/File Photo

SÃO PAULO (Reuters) - A Vale (VALE5.SA) e a BHP Billiton BHP.AX, sócias na Samarco [SAMNE.UL], pretendem abrir linhas de crédito para apoiar as operações da companhia no primeiro semestre de 2017, após esta paralisar operações em decorrência do rompimento de uma barragem em novembro de 2015, no maior desastre ambiental da história do Brasil.

A Vale disse ainda que, dado o fluxo de caixa da Samarco, "é provável" que ela e a BHP sejam chamadas a cumprir as obrigações de um acordo assinado em março com a União e os governos estaduais de Minas Gerais e Espírito Santo, que prevê o empenho de valores ao longo dos próximos anos para compensações e reparações ao desastre socioambiental.

Vale e BHP afirmaram que estimam contribuir com cerca de 181 milhões de dólares cada uma para apoiar as compensações previstas no acordo.

Segundo a mineradora brasileira, o valor deverá ser utilizado no primeiro semestre de 2017.

No caso da Vale, os recursos serão descontados de uma provisão de 3,7 bilhões de reais feita pela companhia no segundo trimestre, enquanto a BHP abaterá o montante de uma provisão de 1,2 bilhão de dólares no mesmo período.

As empresas ainda informaram que disponibilizarão à Samarco linhas de crédito de curto prazo de até 230 milhões de dólares para apoiar as operações da companhia no primeiro semestre, sendo 115 milhões de dólares de cada uma.

"Os fundos serão liberados à medida que forem necessários, sujeitos ao cumprimento de determinadas condições pela Samarco", disse a Vale. A empresa ressaltou ainda que a operação será realizada "sem que isso configure uma obrigação da Vale para com a Samarco".

A BHP informou ainda que vai trabalhar em conjunto com Vale e Samarco para restabelecer as operações da Samarco.

"A retomada vai acontecer somente se for seguro e houver sentido econômico, e se as aprovações necessárias forem obtidas junto às autoridades brasileiras", completou a mineradora anglo-australiana.

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below