OBITUÁRIO-Fidel Castro deixou marca revolucionária na história

sábado, 26 de novembro de 2016 14:10 BRST
 

Por Daniel Trotta

(Reuters) - Filho de um rico proprietário de terras, Fidel Castro deu as costas para uma vida de privilégios e liderou uma revolução de esquerda em Cuba que resistiu por décadas e foi moldada a partir de sua destreza política, um forte senso visionário e um ego sem limites.

Castro, que morreu na sexta-feira aos 90 anos de idade, já foi idealista e pragmático, bastante inteligente e também imprudente, carismático e ao mesmo tempo intolerante.

Os adversários viam nele uma figura opressora e teimosa que violava direitos humanos, prendia seus opositores, bania os partidos de oposição e que destruiu a economia de Cuba.

Já os admiradores enxergavam nele um visionário que enfrentava a dominação norte-americana na América Latina, promovia saúde e educação para os pobres e inspirava movimentos socialistas em todo o mundo.

Mesmo antes de liderar a revolução de 1959 que colocou Cuba no caminho do comunismo e do cenário de Guerra Fria, Fidel Castro se via de maneira grandiosa.

Desde pequeno, ele admirava figuras importantes da história, particularmente Alexandre, o Grande, e acreditava que ele e seus comandados eram parte da tradição.

"Os homens não moldam o seu destino. O destino produz o homem de cada momento", disse ele em 1959.

Castro derrubou o impopular ditador Fulgencio Batista, que era apoiado pelos EUA, ao unir uma oposição fragmentada e levar a melhor sobre um exército cubano muito maior e mais equipado.   Continuação...

 
Presidente russo Vladimir Putin e Fidel Castro participam de cerimônia em Havana em dezembro de 2000. REUTERS/Jorge Silva/Files (CUBA)