Chuvas retornam a lavouras de soja do Centro-Oeste no final da semana

segunda-feira, 28 de novembro de 2016 13:43 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A semana começa com tempo seco e quente em importantes áreas produtoras de soja do Centro-Oeste do país, mas as chuvas retornam no fim da semana, devido a um avanço de frente fria que já provoca precipitações no Sul nesta segunda e na terça-feira, apontaram meteorologistas.

"Na quinta e sexta-feira, a chuva enfraquece sobre o Sul e concentra-se somente entre Minas Gerais e o sudoeste de Mato Grosso", disse a Somar Meteorologia em um relatório diário.

Com o plantio da oleaginosa no país superando 80 por cento da área total prevista, a atenção do mercado volta-se principalmente para as condições de desenvolvimento das lavouras. Analistas dizem que o período entre o fim de novembro e o mês de dezembro será crucial para o potencial da nova safra brasileira.

"Boa parte do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), do norte de Goiás, leste do Pará e de Mato Grosso tem mantido padrão de tempo aberto e muito calor, com pouquíssimas chuvas. Já no final da semana o tempo volta a ficar chuvoso nesta região", disse o agrometeorologista Marco Antônio dos Santos, da Rural Clima.

Segundo ele, a atual temporada está sendo marcada por uma espécie de "pêndulo" no regime de chuvas: ora as frentes frias provocam chuvas no Sul, com tempo seco no centro-norte do país, ora essas frentes frias avançam para o norte, aumentando as precipitações por lá e deixando o Sul mais seco.

O Brasil espera colher uma safra recorde de soja acima de 100 milhões de toneladas em 2016/17, após uma frustração climática na temporada passada.

A Somar destacou que no momento a frente fria se desloca pelo Sul, já tendo causado chuvas generalizadas no Rio Grande do Sul, podendo levar acumulados de pelo menos 20 milímetros nas próximas 72 horas para áreas produtoras do Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Triângulo Mineiro, centro e sul de Goiás e sudeste de Mato Grosso.

"Essas chuvas desse início de semana irão elevar os níveis de umidade do solo (no Sul), garantindo melhores condições ao desenvolvimento das lavouras, uma vez que a ausência de chuvas regulares nas últimas semanas vem causando algumas perdas pontuais de produtividade", disse a Climatempo em um relatório semanal para a agricultura.

A Climatempo ressaltou que as condições ao desenvolvimento das lavouras vão se manter favoráveis em praticamente todas as regiões do Brasil, já que apesar de alguns períodos de tempo mais firme, não há indicativos de que venham ocorrer longos períodos de estiagem e ou longos períodos de invernada (tempo chuvoso e sem luminosidade). A alternância de chuvas entre Sul e Norte do país deverá se estender pelos próximos 30 a 45 dias, concluiu.

(Por Gustavo Bonato)