Tradings elevam fatia no financiamento da safra de soja de MT

segunda-feira, 28 de novembro de 2016 19:30 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As tradings do agronegócio aumentaram sua fatia no financiamento da safra de soja de Mato Grosso para 24 por cento do total na temporada 2016/17, ante 17 por cento na temporada anterior, informou nesta segunda-feira o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

O instituto ligado à federação dos produtores informou ainda que as tradings --em geral, empresas multinacionais que compram e vendem produtos agrícolas-- tomaram espaço das revendas de insumos e dos próprios agricultores, cuja participação caiu na comparação com a temporada passada.

"Ao ser analisado o peso de cada fonte de financiamento, nota-se uma dança das cadeiras no novo funding", afirmou o Imea em relatório.

Segundo o Imea, a quebra das últimas safras de soja e milho atingiu o bolso do produtor, que agora está respondendo por 33 por cento dos custos da safra da oleaginosa, ante 40 por cento na temporada passada.

"As revendas, que já vinham reduzindo a sua participação drasticamente no financiamento desde a safra 15/16, continuaram essa tendência, com as 'trades' abocanhando parte deste mercado", disse o Imea.

As tradings também costumam realizar negócios na modalidade conhecida como "barter", em que acertam troca de insumos agrícolas pelo produto colhido.

Já as revendas recuaram de 17 para 14 por cento sua participação no funding.

O custo total da safra de soja estimado pelo Imea em Mato Grosso, o maior produtor brasileiro da oleaginosa, foi de 17,37 bilhões de reais, ante 16,35 bilhões na temporada passada, com produtores elevando a área de plantio no Estado.

Já os bancos aumentaram a sua participação no financiamento devido, principalmente, à liberação de recursos de pré-custeio, que contribuiu com 72 por cento do montante total liberado pelos bancos com recursos federais.   Continuação...