Preços do petróleo recuam quase 4% por dúvidas sobre corte de produção da Opep

terça-feira, 29 de novembro de 2016 18:54 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Os preços do petróleo caíram cerca de 4 por cento nesta terça-feira, uma vez que os principais integrantes da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) estão enfrentando dificuldades para chegar a acordo de produção para reduzir o excedente global e impulsionar os preços, com Irã e Iraque em desacordo com a Arábia Saudita às vésperas da reunião.

Os futuros do Brent caíram 1,86 dólar, ou 3,9 por cento, e encerraram a 46,38 dólares por barril, enquanto o petróleo dos Estados Unidos recuou 3,9 por cento, ou 1,85 dólar, para 45,23 dólares por barril. Esse foi o maior declínio percentual para Brent desde setembro.

A maioria dos analistas acredita que o cartel vai compor um acordo para cortar alguma produção em sua reunião em Viena na quarta-feira, que começa às 8h (horário de Brasília).

Mas o Irã e o Iraque, segundo e terceiro maiores produtores da Opep, resistiram a pressões da Arábia Saudita, maior exportadora do cartel, para reduzir sua produção, dificultando o acordo.

"Irã e Iraque estão se recusando a cortar... simplesmente atingir a faixa mais alta decidida em Argel vai exigir maiores cortes de outros membros, especialmente a Arábia Saudita, o que pode ser difícil politicamente", disseram analistas da Morgan Stanley em relatório, observando que o banco ainda pendia para a concretização do acordo.

Documentos preparados para a reunião propõem que a Opep corte a produção em 1,2 milhão de barris por dia ante os níveis de outubro, disse uma fonte do grupo com conhecimento dos papeis, levemente acima do corte inicial de mais de 1 milhão de barris por dia que o grupo havia discutido em reunião em Argel em setembro. A Opep produziu cerca de 33,82 milhões de barris por dia em outubro.

(Por Scott DiSavino; reportagem adicional de Christopher Johnson e Henning Gloystein)