Draghi, do BCE, alerta que populismo enfraqueceu integração europeia

quarta-feira, 30 de novembro de 2016 07:14 BRST
 

Por Paul Day

MADRI (Reuters) - A propagação de movimentos populistas está ameaçando a integração europeia e os esforços para encontrar respostas conjuntas à imigração, segurança e outras preocupações, afirmou o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, em entrevista publicada nesta quarta-feira.

Em algumas de suas declarações recentes mais fortes sobre os acontecimentos políticos, Draghi disse ao jornal espanhol El País que as principais preocupações dos cidadãos da UE são agora "nova imigração, medidas de segurança contra o terrorismo, defesa e proteção das fronteiras".

"Todas essas são questões supranacionais que exigem uma resposta comum. A integração europeia é a resposta apropriada, mas ela se tornou mais fraca nos últimos tempos, parcialmente por causa dos movimentos populistas", acrescentou.

Draghi não mencionou nenhum partido em particular. Mas uma série de movimentos tem abalado o cenário político, incluindo o britânico UKIP, que ajudou no debate sobre a saída do Reino Unido da UE, e a Frente Nacional da França, que quer seu próprio referendo contra a UE.

Com as eleições se aproximando na França, Alemanha e Holanda, três países com crescentes movimentos populistas, aumentou o risco de que os partidos governistas tirem o foco das necessárias reformas estruturais, mantendo um pesado fardo sobre o BCE para impulsionar o crescimento.