Decisão da Opep cria viés de alta para combustíveis da Petrobras, diz fonte

quarta-feira, 30 de novembro de 2016 20:01 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras vai monitorar nos próximos dias os efeitos da decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) de reduzir a produção sobre os preços da commodity para definir os valores dos derivados nas refinarias da estatal, mas a tendência é de alta, disse nesta quarta-feira à Reuters uma fonte próxima às discussões.

O câmbio atual também cria um viés de alta para os preços de combustíveis da Petrobras, acrescentou a fonte, na condição de anonimato.

"Com certeza, o viés hoje é muito mais para um viés de alta do que de baixa. Sem dúvida", disse.

Os países da Opep produzem cerca de um terço do petróleo no mundo, ou cerca de 33,6 milhões de barris dia, e pelo acordo desta quarta-feira deverão reduzir a produção em cerca de 1,2 milhão bpd a partir de janeiro de 2017.

O dólar está cerca de 7 por cento mais forte frente ao real e o petróleo Brent está aproximadamente 8,5 por cento mais caro, na comparação com 8 de novembro, quando a estatal tomou a decisão de reduzir os preços.

Petróleo mais caro e dólar mais forte, em tese, levariam a Petrobras a elevar seus preços, mas há outras variáveis consideradas na nova política da empresa, que prevê avaliações pelo menos uma vez por mês.

"A empresa não vai tomar uma decisão imediatamente. É preciso uns dois dias para ver se há uma mudança significativa ou não. Uma mudança, se for tomada, seria a partir da semana que vem", disse a fonte.

O petróleo Brent fechou alta de 8,8 por cento nesta quarta-feira.   Continuação...

 
Funcionário pinta tanque da estatal Petrobras em Brasília, no Brasil
30/09/2015
REUTERS/Ueslei Marcelino/File Photo