Ibovespa cai 3,9% com receios políticos e cautela ante acordo de leniência da Odebrecht

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016 18:48 BRST
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O mercado acionário brasileiro encerrou o primeiro pregão de dezembro com a maior queda em 10 meses, em meio à cautela com o cenário político doméstico e receios com notícias sobre acordo de leniência da Odebrecht.

O Ibovespa caiu 3,88 por cento, a 59.506 pontos. A perda foi a maior desde 2 de fevereiro (-4,87 por cento).

O último mês do ano começou com volume financeiro elevado, somando 11,9 bilhões de reais, acima da média diária para o ano até a véspera, de 7,37 bilhões de reais.

As inquietações no campo político, em meio à aprovação de texto desconfigurado na Câmara dos Deputados de medidas contra corrupção, dias após a crise que culminou com mais uma baixa na equipe do presidente Michel Temer, voltaram à tona nesta sessão. Os receios foram ampliados perto da reta final do pregão por notícias de que a Odebrecht começou a assinar acordo de colaboração com os procuradores da operação Lava Jato.

O mau humor foi predominante na sessão que iniciou o dia pressionada ainda por uma nova fase da operação Zelotes, com a Polícia Federal investigando suspeitas de manipulação de julgamentos no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), tendo entre os alvos o Itaú Unibanco e o BankBoston. [L1N1DW0IR]

DESTAQUES

- ITAÚ UNIBANCO caiu 4,57 por cento tendo no radar a nova fase da operação Zelotes e após a alta da véspera, de quase 2 por cento. BRADESCO PN perdeu 5,58 por cento.   Continuação...