Ações europeias recuam após três semanas de ganhos antes de referendo na Itália

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 16:11 BRST
 

MILÃO (Reuters) - As ações européias terminaram em queda nesta sexta-feira depois de recuarem, para o patamar mais baixo de três semanas ao longo da sessão, com os investidores negociando com cautela antes de um referendo sobre reforma constitucional na Itália que pode desencadear nova incerteza política na região.

O índice STOXX 600 fechou em queda de 0,44 por cento, pressionado pelas ações financeiras mais fracas e recuo no setor de commodities com a queda nos preços dos metais. O índice pan-europeu terminou a semana em território negativo depois de ganhos nas três semanas anteriores.

O índice das principais ações europeias FTSEurofirst 300 fechou em queda de 0,27 por cento, a 1.339 pontos.

As ações européias estão com desempenho inferior ao de Wall Street, que subiu para níveis recordes diante da expectativas de estímulo fiscal maciço depois que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, assumir a Casa Branca.

Alguns investidores esperam que essa tendência permaneça, já que a Europa enfrenta uma série de decisões políticas nos próximos 12 meses, começando no domingo, quando os italianos votam as reformas constitucionais do primeiro-ministro Matteo Renzi e com os austríacos elegendo seu presidente.

As pesquisas de opinião mostram que o voto no "Não" está confortavelmente na liderança na Itália, levantando preocupações de que Renzi poderia renunciar. Mas algumas pesquisas feitas nesta semana indicaram que a campanha do "Sim" estava diminuindo a diferença.

O índice dos bancos europeus caiu 1,31 por cento, a maior queda setorial, arrastado pela queda de 2 a 4,6 por cento no Banco Popular, no Royal Bank of Scotland, no BNP Paribas e no Credit Suisse.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,33 por cento, a 6.730 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,20 por cento, a 10.513 pontos.   Continuação...