Oi sinaliza troca de dívida por ações, dizem fontes

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016 18:49 BRST
 

Por Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer

SÃO PAULO (Reuters) - A Oi pode retirar a proposta de restringir por três anos que credores troquem parte da dívida por ações, em um sinal de que a operadora de telecomunicações busca ganhar apoio de detentores de bônus para sair da recuperação judicial mais rapidamente, afirmaram duas pessoas com conhecimento do assunto nesta sexta-feira.

    A limitação, que a Oi incluiu em uma proposta de reorganização em 5 de setembro, desagradou credores e ajudou a retardar a reestruturação judicial da companhia.

O presidente-executivo da Oi, Marco Schroeder, afirmou aos dois grupos de detentores de bônus da empresa nesta semana que os acionistas parecem estar menos relutantes em aceitar uma troca de dívida por ações, disseram as fontes.

Segundo essas fontes, que pediram anonimato para falar livremente sobre o assunto, Schroeder se reuniu na segunda-feira com o G5 Evercore, assessor de um grupo de detentores de bônus recentemente criado, para discutir a reestruturação.

    Ele se encontrou com executivos de bancos do grupo de credores liderado pela Moelis & Co na sexta-feira, disseram as fontes.

Essa mudança de estratégia enfatiza como a crescente pressão do governo para encontrar uma solução para a Oi forçou os credores e acionistas a encontrar rapidamente um terreno comum. Schroeder tornou-se CEO da Oi depois que uma primeira rodada de negociações com o grupo liderado pela Moelis desmoronou em junho.

    Oi se recusou a comentar, assim como Moelis. Esforços para obter comentários da G5 Evercore fracassaram.

O pedido de recuperação de 65,4 bilhões de reais da Oi, o maior da história no Brasil, se complicou por uma proposta de reorganização apresentada em setembro, que credores alegam favorece acionistas em seu prejuízo.   Continuação...