Justiça suspende processo de venda de fatia da Petrobras na BR Distribuidora

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016 21:17 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Justiça Federal em Sergipe determinou que a Petrobras e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) suspendam o processo de venda de participação acionária da petroleira estatal na BR Distribuidora, a subsidiária de combustíveis da empresa.

Os autores da ação --Fernando Borges da Silva e José Hunaldo Nunes Santos-- argumentaram que o procedimento de venda não vem observando os princípios da legalidade, da impessoalidade, da moralidade, da publicidade e da eficiência, "haja vista a ausência de licitação", de acordo com decisão publicada no site da Justiça Federal, na última sexta-feira.

Mais cedo nesta segunda-feira a Agência Brasil reportou a decisão judicial.

Em comunicado enviado ao mercado, a Petrobras disse que vai recorrer das decisões da Justiça de suspender o processo de venda de participação acionária na BR Distribuidora e o processo de cessão dos direitos de exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás natural de um conjunto de campos terrestres.

A Petrobras "esclarece que a condução desses processos

observa todas as etapas previstas na Sistemática para Desinvestimentos, garantindo ampla competitividade entre os potenciais interessados", disse a estatal em nota.

A subsidiária de combustíveis da Petrobras é um dos principais ativos no plano de desinvestimentos da estatal, que prevê levantar 34,6 bilhões de dólares entre 2015 e 2018 para reduzir seu endividamento. A conclusão do processo de venda da BR não é esperada para este ano.

A BR, formalmente conhecida como Petrobras Distribuidora, atraiu dezenas de interessados, incluindo a Itaúsa, holding do Itaú de participações industriais, e a rede varejista Lojas Americanas.

Em meados de outubro, a Petrobras informou que havia distribuído até aquele momento mais de 90 prospectos de venda de participação na BR para potenciais parceiros, após iniciar a oferta do ativo a investidores com a nova modelagem, que permite o compartilhamento de controle da unidade de combustíveis.   Continuação...