Monsanto prepara lançamento de serviços digitais para agricultura no Brasil

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016 17:29 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A gigante do setor de biotecnologia Monsanto planeja lançar no Brasil dentro de 12 a 18 meses, em escala comercial, serviços digitais para a agricultura, abrindo uma nova frente para a empresa mais conhecida pelo desenvolvimento de sementes transgênicas.

Os pacotes de serviços de análise de dados de plantio e colheita, inicialmente focados em fazendas de soja e milho, deverão estar disponíveis para a safra 2017/18 ou 2018/19.

Na atual temporada 2016/17, o sistema está sendo testado por 100 agricultores convidados pela empresa em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Bahia.

O sistema consiste em uma série de sensores instalados nas máquinas agrícolas, que conectam-se a tablets e computadores, coletando dados de desempenho que posteriormente são enviados pela Internet aos servidores da Monsanto, onde são cruzados e analisados.

A ideia é que o produtor rural tenha relatórios com mapas e coordenadas geográficas de sua propriedade que mostrem a performance das máquinas e o potencial produtivo de cada área da fazenda, permitindo avaliar maneiras de aumentar a produtividade.

"O potencial de aumento de produtividade é muito grande", disse o líder da Monsanto na América do Sul, Rodrigo Santos, em encontro com jornalistas nesta quarta-feira, ressaltando que os resultados da plataforma variam de acordo com as condições de cada fazenda e que muitos dados sobre seu uso no Brasil ainda estão sendo coletados.

Os valores que serão cobrados dos usuários do sistema também não foram definidos ainda.

A iniciativa da Monsanto não é inédita no mercado e busca garantir espaço em um novo mercado que ainda engatinha, mas promete ser bastante grande e competitivo nos próximos anos. O projeto da Monsanto está em linha com outras grandes multinacionais, como a fabricante de máquinas agrícolas John Deere e a empresa de químicos e sementes Basf, que também oferecem serviços de coleta e análise de dados para agricultores.

Nos Estados Unidos, a plataforma batizada de Climate FieldView já está sendo oferecida comercialmente e abrange 37 milhões de hectares, em uso por 100 mil agricultores. Os Estados Unidos plantaram um total 173 milhões de acres, ou 70 milhões de hectares, com soja e milho em 2016.   Continuação...