Bovespa recua 1,2% em movimento de ajuste; Vale pressiona

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016 19:07 BRST
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em baixa nesta quinta-feira, em movimento de ajuste após subir nos dois pregões anteriores e tendo as ações da Vale entre as principais pressões negativas.

O Ibovespa caiu 1,2 por cento, a 60.676 pontos. Na máxima da sessão, o índice subiu 0,85 por cento.

O volume financeiro somou 6,5 bilhões de reais, abaixo da média diária para o mês até a véspera, de 8,68 bilhões de reais, e inferior também à media diária para o ano, de 7,39 bilhões de reais.

O mercado acionário brasileiro abriu em alta, ainda amparado pelo otimismo com a tramitação de medidas econômicas do governo do presidente Michel Temer no Congresso Nacional, após o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir na véspera, por 6 votos a 3, manter Renan Calheiros (PMDB-AL) na presidência do Senado.

Nesta manhã, o senador afirmou que a votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o crescimento dos gastos públicos está mantida para o dia 13 de dezembro.

O movimento de alta, contudo, perdeu força ao longo da sessão, com a ausência de notícias suficientes para tirar do radar preocupações com o cenário político, que ainda segue conturbado. A decisão do Banco Central Europeu (BCE) de reduzir o estímulo econômico propiciou o movimento de ajuste.

A autoridade monetária europeia anunciou que vai cortar as compras mensais de ativos a partir de abril do próximo ano para 60 bilhões de euros, dos atuais 80 bilhões de euros, mas estendeu o programa até o final de 2017. A expectativa do mercado era de que as compras ficassem em 80 bilhões de euros, mas apenas por mais 6 meses.

Segundo operadores, a decisão tem um viés negativo para mercados emergentes como o Brasil por receio de que possa diminuir o fluxo global de investimentos, principalmente em meio ao cenário de expectativa de alta de juros nos Estados Unidos.   Continuação...