IPCA tem menor nível para novembro em 18 anos e vai abaixo de 7% em 12 meses

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016 11:06 BRST
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A inflação oficial brasileira subiu menos do que o esperado em novembro e chegou ao menor nível para o mês em 18 anos, com o índice indo abaixo de 7 por cento em 12 meses pela primeira vez em quase de dois anos, o que consolida apostas de que o Banco Central vai intensificar o afrouxamento monetário e abre espaço para que o teto da meta seja alcançado.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu em novembro 0,18 por cento, contra 0,26 por cento no mês anterior, menor leitura para o mês desde 1998, quando recuou 0,12 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira.

Com isso, em 12 meses a inflação acumulada até novembro chegou a 6,99 por cento, sobre 7,87 por cento no mês anterior, na primeira vez que vai abaixo da casa de 7 por cento desde dezembro de 2014 (6,41 por cento), ainda que num cenário de recessão econômica que prejudica a demanda.

"A redução da inflação tem um efeito da recessão sobre preços de vestuário, alimentos e passagens aéreas. Há uma interferência clara da demanda menor. Esse é um reflexo da recessão", destacou a economista do IBGE Eulina Nunes dos Santos.

As expectativas em pesquisa da Reuters junto a analistas eram de alta de 0,27 por cento em outubro, acumulando em 12 meses avanço de 7,08 por cento.

Na semana passada, o BC deu sequência ao ciclo de afrouxamento monetário com novo corte de 0,25 ponto percentual na Selic, o segundo seguido, levando-a a 13,75 por cento.

O resultado de novembro do IPCA consolida as apostas no mercado de que o próximo corte da taxa básica de juros será de 0,5 ponto percentual.

"O IPCA mostra que há grande espaço para cortar os juros", disse o economista-sênior do Banco Haitong, Flávio Serrano, acrescentando que, na sua avaliação, o BC deve esperar ter mais elementos antes de ampliar o corte para 0,75 ponto. "De 0,50 em 0,50 ponto ele consegue dosar melhor."   Continuação...

 
Mulher olhando alimentos em feira em Belo Horizonte.  As principais influências para o resultado de novembro foram os grupos alimentação e bebidas, com queda de 0,20 por cento, e artigos de residência, com recuo dos preços de 0,16 por cento.    30/06/2016          REUTERS/Toru Hanai