Sindicatos comemoram atraso em venda de ativos da Petrobras e veem dificuldade para greve

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016 17:49 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - Por trás de ações judiciais que suspenderam a negociação de ativos da Petrobras, sindicatos de petroleiros acreditam que conseguiram postergar o plano de desinvestimentos da estatal, mas não impedi-lo efetivamente, em um ambiente de dificuldades menos propício para realizarem uma greve de alto impacto, como em anos anteriores.

Após decisão judicial iniciada por sindicatos, que declarou nulidade do processo de venda de ativos, como da BR Distribuidora, o banco Citi, assessor financeiro da Petrobras, informou a investidores interessados na subsidiária que paralisou as negociações por tempo indeterminado, segundo uma fonte da Petrobras.

O movimento foi comemorado por líderes sindicais, apesar de estarem descrentes sobre possíveis vitórias na luta contra os desinvestimentos bilionários.

"Na Justiça, eu não tenho dúvida que se fosse única e exclusivamente por argumentação e demonstração de números a gente conseguiria, mas nós estamos vendo o que está acontecendo com a Justiça do país", afirmou o coordenador-geral da Federação Única dos Petroleiros (FUP) José Maria Rangel à Reuters.

A FUP tem 14 sindicatos de petroleiros filiados.

Em sua decisão do início de dezembro, a Justiça Federal em Sergipe suspendeu a venda da BR Distribuidora e de campos nos Estados de Sergipe, Ceará, Rio Grande do Norte, Bahia e Espírito Santo.

"A liminar mandou, a gente obedece", afirmou a fonte da empresa, explicando que, apesar da paralisação das buscas por compradores, a empresa continua tentando reverter a decisão.

Também nesta semana, o Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou medida cautelar que proíbe a Petrobras de concluir novos contratos de venda e de iniciar novos processos de alienação, com exceção de alguns ativos que estão em fase avançada.

Entretanto, segundo explicou o órgão, a decisão não impediria que a empresa permaneça realizando negociações que já foram iniciadas.   Continuação...