Preços do petróleo têm máxima de 18 meses após acordo entre Opep e rivais

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016 08:33 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros do petróleo chegaram a subir até 6,5 por cento nesta segunda-feira, atingindo uma máxima de 18 meses, após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e alguns de seus rivais chegarem ao seu primeiro acordo desde 2001 para reduzir conjuntamente a produção, tentando combater o excesso de oferta global e aumentar os preços.

O petróleo Brent subia 2,11 dólares, ou 3,88 por cento, a 56,44 dólares por barril subia 2,11 dólar, ou 3,88 por cento, a 56,44 dólares por barril, às 8:31 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos avançava 2,21 dólares, ou 4,29 por cento, a 53,71 dólares por barril avançava 2,21 dólar, ou 4,29 por cento, a 53,71 dólares por barril .

Mais cedo o Brent atingiu uma máxima de 57,89 dólares o barril, maior valor desde julho de 2015.

O preço do Brent está 50 por cento mais alto em relação ao no mesmo período do ano passado, marcando a maior alta na comparação anual desde setembro de 2011.

Após quase um ano de disputas, a Opep acordou em 30 de novembro cortar a produção em 1,2 milhão de barris por dia (bpd) por seis meses a partir de 1º de janeiro, com a Arábia Saudita, o maior exportador, cortando cerca de 486 mil bpd para conter a oferta excedente.]

No sábado, produtores não integrantes da Opep, liderados pela Rússia, concordaram em reduzir a produção em 558 mil bpd, abaixo do objetivo de 600 mil bpd, mas ainda assim a maior contribuição de países de fora do grupo já realizada.

(Por Amanda Cooper)