Assessor do BC da China diz que política monetária pode ser apertada em 2017, segundo jornal

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016 07:14 BRST
 

PEQUIM (Reuters) - A China pode apertar a política monetária no próximo ano para reduzir os riscos à economia, incluindo a volatilidade do câmbio, a alta da inflação e o mercado imobiliário, afirmou um assessor do banco central do país segundo o jornal estatal China Business News.

Sheng Songcheng, assessor do Banco do Povo da China, afirmou que as declarações de líderes chineses na sexta-feira de que vão manter as condições monetárias "prudentes e neutras" em 2017 sugerem que a política monetária está atualmente frouxa demais.

"Minha impressão pessoal é de que a atual política monetária pode estar um pouco frouxa demais", disse Sheng, de acordo com a edição desta segunda-feira do jornal.

Sheng explicou que não haveria motivos para mais afrouxamento no próximo ano, especialmente dada a volatilidade do câmbio e a alta da inflação. Ele também citou os mercados acionário e imobiliário como riscos, mas não deu mais detalhes.

Sheng enfatizou ainda que a política monetária não será "apertada demais" também, já que isso levaria a turbulências no mercado.

(Reportagem de Yawen Chen e Nicholas Heath)