Na contramão do mercado, Conab eleva previsão de moagem de cana do centro-sul

terça-feira, 20 de dezembro de 2016 14:08 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) elevou nesta terça-feira sua previsão para a moagem de cana do centro-sul do Brasil na atual temporada 2016/17 para 644,24 milhões de toneladas, ante 631,92 milhões da estimativa de agosto, devido a um aumento de quase 2 por cento no cálculo da área colhida.

"No Sudeste, deverá haver um aumento da área. As chuvas atrasaram a colheita da safra anterior e houve o aumento da quantidade de cana bisada para a atual safra... As produtividades foram excelentes na safra anterior e as expectativas também são boas para esta safra", destacou a Conab.

A projeção de safra da Conab contrasta com diversas previsões de analistas, que têm reduzido as perspectivas para a moagem do centro-sul, devido a efeitos climáticos e por ataques de pragas e doenças.

A própria União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), entidade que reúne as usinas do centro-sul, disse no fim de novembro que a moagem na safra 2016/17 poderá ficar aquém do limite inferior de 605 milhões de toneladas estimado pela associação em abril deste ano.

O principal fator de alta na previsão da Conab, divulgada nesta terça-feira, foi o cálculo de área colhida.

Apesar de a colheita já estar praticamente encerrada no centro-sul, a Conab utilizou o relatório de dezembro para elevar em 2 por cento sua estimativa de área colhida, que é vista agora em 8,15 milhões de hectares.

A produtividade agrícola ficou praticamente inalterada ante o relatório de agosto, em 79 toneladas de cana por hectare.

"Se por um lado as boas condições climáticas auxiliam no desenvolvimento das lavouras, por outro, excesso de chuva na safra passada impediu, em muitos casos, a colheita da cana-de-açúcar. Com isso, há previsão de aumento de cana bisada que será colhida na safra 2016/17", disse a Conab sobre o Estado de São Paulo, principal produtor do país.

  Continuação...

 
Canavial em Ribeirão Preto, São Paulo.    15/09/2016         REUTERS/Nacho Doce