Embraer defende limites à indústria para financiamento estatal a desenvolvimento de aeronaves

terça-feira, 20 de dezembro de 2016 20:10 BRST
 

Por Brad Haynes

SÃO PAULO (Reuters) - A Embraer (EMBR3.SA: Cotações) defendeu nesta terça-feira que a indústria de aviação defina limites sobre financiamento estatal voltado ao desenvolvimento de aeronaves, um dia depois que o Brasil anunciou que vai recorrer à OMC contra o que considera como subsídios ilegais canadenses à rival Bombardier (BBDb.TO: Cotações).

O presidente-executivo da Embraer, Paulo Cesar Silva, afirmou que os padrões da indústria de aviação para financiamento a exportação por bancos estatais funcionaram bem na promoção de uma competição justa entre Embraer, Bombardier e os rivais maiores Boeing (BA.N: Cotações) e Airbus (AIR.PA: Cotações).

"Se a indústria puder estabelecer um conjunto de regras para financiamento de desenvolvimento de aeronaves similar ao que temos para o financiamento de exportações, então teremos um nível de competição equilibrado", disse Silva a jornalistas.

O momento, porém, pode ser difícil para um acordo da indústria, depois que o Brasil disse na segunda-feira que vai questionar na Organização Mundial do Comércio (OMC) investimentos feitos pela província canadense de Québec no desenvolvimento do modelo CSeries, um rival direto do E-195, da Embraer.

Silva afirmou que a injeção de capital ajudou a Bombardier a vender o CSeries a preços baixos para a Delta Air Lines (DAL.N: Cotações) em abril e houve sinais de campanhas de preços agressivos em outras vendas nos Estados Unidos.

Representantes da Bombardier não comentaram o assunto de imediato.

A mais recente disputa na OMC relembra um confronto de quase duas décadas atrás entre Brasil e Canadá sobre financiamento estatal para exportações da Embraer e Bombardier.

Silva afirmou que é importante a definição de limites uma vez que novos entrantes no mercado como Rússia, Japão e China estão desafiando a liderança de Embraer e Bombardier no mercado de jatos regionais, em alguns casos com generoso apoio governamental.   Continuação...