Consumo fraco derruba preço da energia elétrica no mercado livre

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016 15:58 BRST
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - Um consumo de eletricidade ainda em retração no Brasil e previsões de início de retomada da atividade econômica apenas a partir de meados de 2017 derrubaram os preços da eletricidade no mercado livre, no qual grandes consumidores negociam contratos diretamente com usinas geradoras ou comercializadoras.

A queda foi ajudada ainda por um período de chuvas dentro das expectativas, que segura as cotações até o momento, devido à predominância das hidrelétricas na produção de energia elétrica do Brasil, segundo especialistas consultados pela Reuters.

De acordo com a consultoria Dcide, contratos trimestrais de energia convencional eram negociados no mercado livre nesta semana a 97,8 reais por megawatt-hora, queda de 28 por cento ante os 135,8 reais praticados no final de novembro.

Já os contratos de longo prazo de energia convencional estão na casa dos 142 reais por megawatt-hora nesta semana, ante 152 reais ao fim de novembro --uma retração de 6,6 por cento.

Em novembro, empresas como a AES Tietê chegaram a falar em tendência altista para os preços, mas o sinal mudou após o governo rever para baixo as projeções de carga de energia para os próximos anos.

"É um efeito natural dessa desaceleração, não retomada econômica, e do início do período úmido, que está vindo dentro de uma expectativa razoável", disse o sócio da consultoria Esfera Energia, Braz Justi.

PREÇOS SPOT   Continuação...